1612

Em 2009
O tratado de Tordesilhas (1494) é o marco inicial do espetáculo, a aparição de Francisco I (Rei da França) renegando o tratado, afirmando desconhecer o testamento de Adão em que deixava o mundo apenas para Portugal e Espanha.
Em 1594, Jacques Riffault e Charles de Vaux estabelecem uma feitoria. A cena se segue com a apaixonada fala de “de Vaux”, mostrando ao rei Henrique IV da urgente necessidade da coroa francesa em se apossar das terras do Maranhão, antes que os portugueses chegassem por lá, o rei então decide enviar Daniel de la Touche para ver a viabilidade da empreitada. Daniel faz o combinado e ao voltar à França depois de seis meses de analise encontra o rei assassinado, mas depois de algumas tentativas consegue falar com Maria de Médicis, e finalmente obtém a tão desejada concessão para estabelecer a França Equinocial, numa cena em que a soberana faz todas as recomendações acerca da viagem (texto extraído de carta datada de 12 de outubro de 1611).E finalmente a cena da sua chegada triunfal, depois de mais de cem dias de viagem, recebido amistosamente pelos índios. A visão da primeira missa. Todos reunidos, a tripulação e os nativos tupinambás.
E a história se segue em frente ao forte que deu origem à cidade de São Luís. La Touche se preparando para a batalha que viria a se chamar Guaxenduba, quando índios e franceses unidos e em maior número foram derrotados pela desfalcada tropa lusitana. Num episódio intitulado de Milagre de Guaxenduba, em que se acredita que a vitória tenha se dado pela presença da Virgem Senhora no meio do batalhão português, a famosa Jornada Milagrosa. Os dois líderes rivais chegam a um acordo suspendendo as hostilidades por um ano.Depois da derrocada francesa La Ravardière entrega o forte de São Luís, pedindo para ficar, por amor à terra a que muito se afeiçoara. Terminando sua história preso por três anos em Pernambuco.
Então a nossa história, nossa cena, se encarrega de deslizar um pouco pela imaginação, e por alguns minutos informa o real, dando um final diferente, um final que hoje, o povo do maranhão, com certeza, daria ao fabuloso Daniel de La Touche e a sua frança tão querida pelos lados de cá.
Adaptação histórica: Armando Veras

A rainha anã e o pássaro mágico

NOSSA PRÓXIMA PRODUÇÃO
FAÇA PARTE DESTE PROJETO

Num reino governado por fadas, uma de suas rainhas envelhece muito rápido. O estranho é que nesse lugar o tempo passa de forma diferente. Lá as pessoas nascem velhas e vão se tornando crianças até desaparecerem completamente.
A rainha anã descobre que só fazendo uma capa com as penas de uma ave rara conseguirá parar o seu envelhecimento.
A ave que ela procura é o último pássaro mágico que voa para trás e põe ovos quadrados.
É neste ambiente de música e dança que surge um autêntico conto de fadas, para falar sobre preservação da natureza e amizades verdadeiras .
Ator convidado - Eduardo Reis

passeio serenata


Promovido pela Prefeitura de São Luis, o projeto Passeio Serenata da Secretaria Municipal de Turismo–SETUR, arrasta um grupo com dezenas de pessoas, ávidas para saber um pouco mais sobre a saga dos grandes poetas, escritores, comerciantes e políticos que fizeram São Luis ser conhecida com a Athenas Brasileira.


O elenco do PASSEIO SERENATA


Suanny
Marcos Pinheiro
Armando Veras


Suporte Técnico


Manoel Freitas
George Luis Conceição


Joãozinho, Marieta e a Bruxa


Sinopse

A bela e encantadora Marieta apaixonada pelas descobertas sexuais da adolescência, tenta libertar seu maninho Joãozinho das garras da bruxa quase malvada, para ocupar seu lugar e ser comida a sua maneira.

O menino sempre prisioneiro numa gaiola e Marieta, livre, leve e solta para aprontar mil e uma traquinagens. Como uma adolescente louca pelo materialismo nem percebe o perigo que corre nas mãos de sua madrinha bruxa.


Concepção

Esta é uma fabula que tem como ponto de partida a popular historia infantil “João e Maria”, fazendo uma leitura bem particular e inusitada da obra.

Ao transformar um clássico infantil em uma comédia, o autor Armando Veras mostra sua criatividade. O texto remete ao público uma viagem as suas mais esquecidas referências infantis ao mesmo tempo que o confronta com uma das mais complicadas facetas da vida adulta, as descobertas da sensualidade. Tudo dentro de um visual de história infantil.

A incrível batalha


Cinco baratas são convocadas pela chefe do serviço secreto para destruírem os poderes nocivos de Madame Poluíção e de seu lacaio Manolo, sua bactéria maligna.

Direção e enredo do teatrólogo Armando Veras, os figurinos e elementos cênicos de Manoel Freitas.

Elenco: Felipe Serra, Tássia Suely, Cris França, Vanessa, Geninha, Jackson Melo, Helena Travassos e Diogo Azoubel

Veja mais em:
http://www.badaueonline.com.br/2005/9/24/Pagina1829.htm

Uma palavra por outra